sábado, 11 de fevereiro de 2017

o branco frio espaço do quadro dissipado


Sem pretestos quero escorregar
no platô dos labios teus
e ébrio de seu veneno me encontrar
sin embargo hacer me nele, eu

ser legitimado
num janeiro hostil
atirado em cinzas fragmentado
prontos para o branco frio

espaço do quadro dissipado

oh mais bela das esperas
carregas as flores 
a vida a desabrachar-se

Abril, caro abril jamais
demoraste tanto de chegar !

sera que o trem que te traz
junto à primavera 
extraviou-se no deserto de gelo ?

Postar um comentário