domingo, 5 de julho de 2009

A musa da ilha de gelo, calorosa

Na aurora ouço a primavera,
no tempo vitual, longo, no real, nao sei,
mas no encontro , uma gostosa e curta eternidade.

És deusa das montanhas geladas,
também és braseiro para meu coração que degela,
tens poderes nos gestos,
beleza no timbre.

Soa, tua voz, tão doce quanto um sonho em lagos
de ares leves e com uma canção de harpa.
oóó ... filha da água, irmã do vento,
penetras meu espírito com teus olhos,
têm eles a força da lua,
dispertam em mim um fascínio,
um enternecimento...
Postar um comentário