segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

em suas elegias, teus lábios lapida Érato

Sim: negue- me o desejo à boca dar-me-a sedenta vai ao beijo ao silêncio um jazz em suas elegias, os teus lábios lapida Érato em seus verbos a cada dia a beber o frescor do hálito nu que no espelho irradia o sol em teus olhos faz-me: ser em dois cúmplices corpos o futuro a beber negue- me o desejo negue- me o desejo



Rafael Cão - Sem titulo, São Paulo - Brasil 2012


Postar um comentário